Decreto assinado por Emanuel pode inviabilizar final da Supercopa em Cuiabá, avalia governador - Na Cara do Gol MT

Últimas Notícias

sábado, 12 de fevereiro de 2022

Decreto assinado por Emanuel pode inviabilizar final da Supercopa em Cuiabá, avalia governador

 


O decreto limitando o público da Arena Pantanal a 30% de sua capacidade pode acabar inviabilizando a final da Supercopa do Brasil, que será disputada por Atlético-MG e Flamengo, no próximo dia 20. A avaliação é do governador Mauro Mendes (DEM). “Vamos olhar ainda, mas é uma regra que pode até cancelar o jogo aqui em Cuiabá”, comentou o governador.

O jogo está marcado para a capital mato-grossense, onde o prefeito Emanuel Pinheiro limitou a presença do público por conta dos casos de covid-19 e Influenza. A Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tentam negociar com a prefeitura de Cuiabá para mudar a regra e permitir um público maior na Arena.

O jogo entre Atlético-MG e Flamengo chegou a ser cogitado para o estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF). Justamente por conta de um decreto do poder executivo local, proibindo a presença de público, a CBF decidiu mudar a partida para a Arena Pantanal.

Na avaliação do governador Mauro Mendes, caso o jogo seja mantido em Cuiabá, será um “belíssimo” espetáculo. “Nós fizemos algumas ações para isso. Ninguém amanhece e simplesmente resolve fazer isso. Trazer um dos jogos mais importantes do ano no Brasil. Vão jogar dois grandes times, o campeão brasileiro. Um jogo muito esperado, dois grandes jogos. Teremos um belíssimo espetáculo. Única coisa que eu não gostei é que eu não vou estar aqui no dia, vou estar viajando, mas paciência, talvez eu assista pela internet”, afirmou Mauro.

A Arena Pantanal tem capacidade estimada de 42 mil torcedores. Caso o decreto atual seja mantido, cerca de 12 mil torcedores poderiam acompanhar o duelo. O decreto da prefeitura de Cuiabá também inclui a necessidade de comprovação da vacina contra a covid-19 para os torcedores poderem entrar nos estádios.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: arquivo/assessoria)

Nenhum comentário: