Presidente do Nova Mutum pede afastamento do cargo após ser acusado de injúria racial - Na Cara do Gol MT

Últimas Notícias

quinta-feira, 4 de novembro de 2021

Presidente do Nova Mutum pede afastamento do cargo após ser acusado de injúria racial

 


Segundo Boletim de Ocorrência, Anir Siqueira teria cometido injúria racial contra o preparador físico do União antes de partida pela Copa FMF.

Acusado de ter cometido injúria racial contra o preparador físico do União de Rondonópolis, o presidente do Nova Mutum, Anir Siqueira, pediu afastamento do cargo. O vice-presidente, Eudes Gomes Pereira, assume o comando do Azulão da Massa.

A diretoria do Nova Mutum divulgou nota em que confirma o afastamento do presidente e pede empatia com os fatos. “Com objetivo da busca da verdade real e por razões pessoais (…) para que o fato seja devidamente esclarecido”. O texto publicado pelo clube destaca que Anir é empresário local, membro da direção FMF e “vem atuando brilhantemente em seu papel há anos, com objetivo da busca da verdade real e por razões pessoais, na tarde de ontem, requereu seu afastamento do cargo, para que o fato seja devidamente esclarecido”.

Ainda segundo a nota, “a comissão técnica, diretoria e organização se prontificam a esclarecer todas as dúvidas pertinentes ao assunto supramencionado, e afirmamos ainda que não pactuamos com qualquer atitude desrespeitosa, quão mais, mas não exclusivamente no que tange à raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou deficiência”.

“Logo, diante de todo o ocorrido, busquemos nesse momento, a devida cautela nos comentários, posto que, antes do devido processo legal, um julgamento arbitral afasta a empatia, podendo acarretar danos irreparáveis aos envolvidos, além de promulgar o ódio e a discordância social”.

Leia a nota do clube na íntegra:

O Nova Mutum Esporte Clube, através de sua diretoria, tomou conhecimento do episódio relatado através das mídias sociais, no qual na data de 31 de outubro de 2021, o preparador físico do União Esporte Clube registrou um Boletim de Ocorrência alegando ofensas proferidas pelo Presidente deste clube, onde este haveria proferido palavras que caracterizariam o fato de injúria preconceituosa.

Cabe aqui ressaltar que ao longo da formação do Nova Mutum Esporte Clube – fundado em 1988 – nunca ocorrera qualquer episódio semelhante. A diretoria pede a toda a sociedade, torcedores e amantes do futebol, as mais sinceras desculpas por tal envolvimento e publicidade negativa.

Infelizmente o fato que vem sendo veiculado nos mais diversos meios de comunicação, sem a devida empatia, cautela e respeito à imagem dos supostos envolvidos é deveras prejudicial e constrangedora.

O membro diretor suspeito, que é empresário local, membro da direção FMF e que vem atuando brilhantemente em seu papel há anos, com objetivo da busca da verdade real e por razões pessoais, na tarde de ontem, requereu seu afastamento do cargo, para que o fato seja devidamente esclarecido.

A comissão técnica, diretoria e organização se prontificam a esclarecer todas as dúvidas pertinentes ao assunto supramencionado, e afirmamos ainda que não pactuamos com qualquer atitude desrespeitosa, quão mais, mas não exclusivamente no que tange à raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou deficiência.

Seja no convívio societário, seja dentro ou fora do campo, devemos nos pautar tão somente na disputa cordial e profissional, deixando o ódio e a formação de opiniões desidiosas fora daquele que é o esporte mais popular e bonito do mundo. No clube temos como praxe o dizer de que a única diferença de cor é só a camisa dos jogadores.

Logo, diante de todo o ocorrido, busquemos nesse momento, a devida cautela nos comentários, posto que, antes do devido processo legal, um julgamento arbitral afasta a empatia, podendo acarretar danos irreparáveis aos envolvidos, além de promulgar o ódio e a discordância social.

O caso

Segundo Boletim de Ocorrência registrado logo após o fim da partida, o preparador físico do Colorado, Jaques Douglas, alegou uma suposta injúria racial por parte do presidente do Azulão, Anir Siqueira. De acordo com o que foi declarado, o episódio aconteceu antes mesmo da bola rolar no duelo, vencido pelo União por 1 a 0.

Assim que o jogo terminou, Jaques Douglas foi até a delegacia de Nova Mutum e registrou o Boletim de Ocorrência. De acordo com B.O, ele teria sido insultado pelo presidente do Nova Mutum pouco antes do início do jogo.

Negrinho vagabundo, aqui você não tem bola nenhuma, não. E, as bolas que você quer estão lá no campo. Pode sair daqui, seu negrinho”, destacou trecho do B.O.

 Fonte: Olhar Esportivo

Nenhum comentário: